Polícia

Chefe de facção mandou matar pedreiro após descobrir que ele denunciava crimes do grupo criminoso em Manaus, diz polícia

As equipes policiais já estavam em busca do indivíduo e receberam denúncias de que ele estava em uma embarcação vindo do município de Barreirinha.


Redação AM POST

Ricardo Teixeira de Araújo, 34, conhecido como “Kakati”, foi preso na terça-feira (02/08) apontado como líder de um grupo criminoso envolvido em homicídios ocorridos na zona sul de Manaus.

Continua depois da Publicidade

Conforme o delegado Ricardo Cunha, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), “Kakati” era investigado como um dos autores da morte de Elcir Mário Ferreira, que tinha 46 anos, ocorrida no dia 8 de junho de 2021, no beco Tapajós, rua Rio Amazonas, bairro Petrópolis, zona sul. A vítima foi morta a tiros após os criminosos descobrirem que ela fazia denúncias contra o grupo criminoso naquela localidade.

“Na ocasião, Elcir saiu para comprar pão, momento em que ‘Kakati’ e outro indivíduo, em uma motocicleta, se aproximaram e efetuaram disparos de arma de fogo contra a vítima, que não resistiu aos ferimentos e foi a óbito”, contou o delegado.

A autoridade policial relatou que o suspeito também tem participação no homicídio de Jackson de Moura Fernandes, que tinha 27 anos, e foi executado a tiros no dia 24 de dezembro de 2021, em uma escadaria em frente à sua casa, no beco Planalto, comunidade São Sebastião, também no bairro Petrópolis.

Continua depois da Publicidade

“Jackson já havia saído do mundo do crime e estava tentando dar um novo rumo à sua vida. Ele tinha uma barbearia e trabalhava como barbeiro no estabelecimento, contudo, ‘Kakati’ queria que ele passasse a vender drogas no local, após Jackson recusar, Kakati ordenou sua morte”, relatou Ricardo Cunha.

As equipes policiais já estavam em busca do indivíduo e receberam denúncias de que ele estava em uma embarcação vindo do município de Barreirinha (a 331 quilômetros de Manaus) para a capital amazonense. “Prontamente deflagramos a operação e conseguimos interceptar o barco e efetuar sua prisão”, informou.

Continua depois da Publicidade

Ricardo responderá pelo crime de homicídio. Ele foi encaminhado para audiência de custódia no Fórum Ministro Henoch da Silva Reis, bairro São Francisco, zona sul de Manaus, e ficará à disposição do Poder Judiciário.