Polícia

Comandante da PM diz que suposta ameaça de toque de recolher em Manaus após execução de L7 não vai acontecer

Conforme mensagens divulgadas nas redes sociais os membros de facções prometeram um foguetório no início desta noite em vários pontos de Manaus.


Redação AM POST

A Polícia Militar (PM) negou a notícia sobre um possível toque de recolher em Manaus, que circula nas redes sociais na tarde desta quinta-feira (23), após a morte de Luciano Barbosa, filho do narcotraficante Zé Roberto da
Compensa.

Continua depois da Publicidade

Conforme as mensagens, integrantes do Comando Vermelho do Amazonas (CV-AM) e do Rio de Janeiro prometeram um foguetório no início desta noite em vários pontos de Manaus por conta da morte do L7, decapitado na madrugada de hoje em uma comunidade entre os municípios de Anamã e Manacapuru.

Os membros da facção Revolucionário do Amazonas (RDA) prometeram executar os desafetos, e avisaram os moradores dos bairros Alvorada, União, Flores, Mundo Novo e Cidade Nova sobre a guerra que iniciará.

Cerca de 700 PMs de Manaus estão em Parintins devido o Festival Folclórico, entretanto, o Comandante-Geral da Polícia Militar do Amazonas, Coronel Marcus Vinícius, garantiu em uma coletiva que a segurança da capital não será afetada.

Continua depois da Publicidade

“Tivemos a notícia da morte do traficante, e nós não comemoramos a morte de ninguém, mas as pessoas escolhem seus caminhos. O papel da PM é proteger a vida de todos, mas as escolhas individuais não são escolhas nossas. Existem informações, fakes, de toques de recolher, mas não vai acontecer. Nossa polícia, hoje, vai estar muito pesada na rua. peço compreensão da sociedade, principalmente a manauara, pois seremos muito duros no combate ao crime organizado”, disse o comandante da PM.