Polícia

Ginecologista acusado de crimes sexuais é preso novamente

Com a nova prisão, a polícia espera que mais vítimas continuem procurando a delegacia.

Redação AM POST

O ginecologista Nicodemos Júnior Estanislau Morais, de 41 anos, suspeito de abuso sexual contra pacientes, foi preso novamente nesta sexta-feira (8) em Anápolis, a 55 km de Goiânia.

Continua depois da Publicidade

Ele chegou a ser preso no dia 29 de setembro após a denúncia de três vítimas, mas foi solto após decisão da Justiça. Depois, mais de 50 mulheres procuraram a delegacia para registrar denúncia. Com a nova prisão, a polícia espera que mais vítimas continuem procurando a delegacia.

De acordo com a polícia o ginecologista tirava fotos das partes íntimas das mulheres. Além dos relatos de abusos durante as consultas a vítimas também apresentaram mensagens nas redes sociais.

Uma paciente relatou à polícia que enviou mensagens tirando dúvidas sobre um método contraceptivo e se o parceiro poderia sentir durante a relação sexual. “Bom, minha namorada já usou e eu não percebi diferença alguma. Posso testar kkk. Brincadeira”, disse Nicodemos na mensagem enviada pelo aplicativo.

Continua depois da Publicidade

Outra mulher tinha feito uma cirurgia com ele para retirada de um dispositivo intrauterino (DIU) que infeccionou. A delegada explicou que ele puxou conversa com a paciente para saber se ela estava bem. “Quase 100%. Fiz o que você falou e agora está cicatrizando. Já tomei a injeção também e o manipulado chegou hoje de manhã”, disse a paciente. “Ótimo. Depois, só fazer o bronzeamento e me mostrar, kkkk”, respondeu o ginecologista.

O Conselho Regional de Medicina (Cremego) interditou o registro do médico por seis meses.

Continua depois da Publicidade

A defesa do médico diz que ele não cometeu nenhum abuso e que o ginecologista agiu dentro dos procedimentos da medicina. Ele disse que comentários em aplicativos de mensagens eram “brincadeira” e admitiu que isso foi um erro.