Grupo criminoso que encomendava veículos roubados para serem clonados e revendidos em redes sociais é preso em Manaus

Os quatro infratores foram autuados em flagrante por receptação qualificada, associação criminosa, uso de documento falso e adulteração de sinal identificador de veículo automotor.

Redação AM POST

As equipes da Delegacia Especializada em Roubos e Furtos de Veículos (DERFV) deflagraram ação policial, durante todo o dia de terça-feira (03/11), que culminou nas prisões, em flagrante, de Diego Alexsander do Nascimento, de 27 anos; Lidiane dos Santos, 24; Paulo Henrique Toga Campos, 23, e Wanderlei Pereira De Moura, 41. Os infratores são apontados como membros de um grupo criminoso que encomendava veículos roubados e furtados para serem clonados e revendidos por meio das redes sociais.

De acordo com o delegado Cícero Túlio, titular da DERFV, as prisões ocorreram nos bairros Dom Pedro e Jorge Teixeira, situados nas zonas centro-oeste e leste da capital, respectivamente. Segundo as investigações que apuram o caso, Paulo Henrique era o responsável por encomendar os carros e motocicletas provenientes de roubos e furtos cometidos por outros criminosos.

Continua depois da Publicidade

“Diligências em torno do caso indicam que a companheira de Paulo, uma jovem identificada como Lidiane, realizava o anúncio dos automóveis nas redes sociais. Inclusive, conseguimos surpreender o casal no momento em que ele estava negociando a venda de um veículo roubado e clonado”, afirmou Túlio.

A autoridade policial explicou que Diego e Wanderlei, ambos funcionários de uma loja de emplacamentos, produziam as placas falsificadas que eram utilizadas para clonar os veículos, o que possibilitava que eles fossem revendidos a indivíduos que desconheciam o esquema criminoso.

Conforme o titular da Especializada, durante a ação policial, foram apreendidas duas motocicletas roubadas e clonadas, diversos documentos, além de instrumentos para clonagem de veículos.

Continua depois da Publicidade

O delegado destacou que Diego já havia sido alvo de investigações da DERFV durante a uma operação deflagrada em 2018, e já responde por organização criminosa e adulteração de sinal identificador de veículo automotor. Wanderlei também responde criminalmente por adulteração de sinal identificador de veículo automotor.

Procedimentos
Os quatro infratores foram autuados em flagrante por receptação qualificada, associação criminosa, uso de documento falso e adulteração de sinal identificador de veículo automotor. Após os procedimentos na unidade policial, eles serão encaminhados à Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde ficarão à disposição da Justiça.