Polícia

Homem é preso suspeito de estuprar criança deficiente em Manaus

A mãe da vítima percebeu que a filha estava com as partes íntimas machucadas e denunciou o caso a polícia.


Redação AM POST

Equipe da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), deflagrou, nesta terça-feira (21/06), a segunda fase da Operação Alcalento e prendeu um homem de 45 anos, pelo crime de estupro de vulnerável praticado contra a enteada, uma criança de 10 anos. A prisão ocorreu no bairro Cidade de Deus, zona norte da capital.

Continua depois da Publicidade

De acordo com a delegada Joyce Coelho, titular da unidade especializada, a vítima é uma pessoa com deficiência e as diligências iniciaram no dia 16 de abril deste ano, após a mãe dela comparecer à delegacia, relatando que a filha teria voltado da escola com as partes íntimas machucadas. O fato foi confirmado e caracterizado, posteriormente, junto ao Instituto Médico Legal (IML), como abuso sexual.

“No primeiro momento, o Boletim de Ocorrência (BO) foi registrado na Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (Deaai), sob a suspeita de que o crime teria sido praticado por adolescentes do convívio da vítima”, explicou a titular.

A titular explicou que, no entanto, durante conversa entre a criança e uma psicóloga da Depca, foi possível notar que a menina tinha uma certa vergonha em contar sobre o fato na frente de sua mãe.

Continua depois da Publicidade

“A genitora pediu que as investigações fossem iniciadas, para apurar onde o fato teria ocorrido. Entretanto, durante a escuta especializada, a vítima verbalizou e apontou que o autor do crime seria seu padrasto”, disse a delegada.

Ainda conforme Joyce, com base nas informações coletadas, foi solicitado à Justiça o mandado de prisão temporária em nome do indivíduo. A ordem judicial foi expedida e cumprida na data de hoje. O mandado foi expedido no dia 17 de junho de 2022, pela juíza Rosália Guimarães Sarmento, da Central de Plantão Criminal.

Continua depois da Publicidade

O homem responderá pelo crime de estupro de vulnerável e ficará à disposição do Poder Judiciário.

A delegada ressalta também que as pessoas que souberem de crimes dessa natureza devem entrar em contato pelo Disque Direitos Humanos (Disque 100), ou pelo 181, da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-AM). Os comunicantes podem, ainda, acionar a Polícia Militar do Amazonas (PMAM), pelo 190, para que seja dada voz de prisão em flagrante aos autores.

Continua depois da Publicidade