Pesquisar por em AM POST

Polícia

Médico é denunciado por estupro contra assistente social durante consulta em hospital no AM

Segundo a vítima, o médico disse que estava ‘na seca’ e abusou dela durante exame transvaginal.

  • Por AM POST

  • 20/01/2023 às 13:53

  • Atualizado em 20/01/2023 às 15:38

  • Leitura em dois minutos

Redação AM POST

Uma assistente social, não identificada, denunciou estupro cometido contra ela por um médico dentro do Hospital Galo Manoel Ibanez, no município de Nova Olinda do Norte, no interior do Amazonas.

PUBLICIDADE

Em relato, a vítima contou na Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher (DECCM), que estava fazendo um exame de ultrassonografia para investigar possível existência de pedras nos rins. Na ocasião, o médico baixou a bata dela além do necessário e falou de forma vulgar sobre o corpo dela:

“Abaixei a minha bata, ele pegou o aparelho para fazer o exame de rins e na ocasião, ele abaixou mais a minha bata e ficou: ‘olha essa marquinha, como é que você vem fazer esse exame assim? Logo eu que to na seca. O seu marido deve se acabar aí’. Eu fiquei tão sem ação, tão nervosa e eu falei ‘eu vim aqui para saber se tenho pedra nos rins’. Ele respondeu ‘pedra nos rins você não tem não, mas vamos fazer uma transvaginal para ver sua bexiga'”, contou a assistente social.

Durante o procedimento, o médico informou que seria necessário fazer uma transvaginal para checar a bexiga da mulher, momento em que ele não colocou preservativo no aparelho e não seguiu o procedimento padrão.

PUBLICIDADE

“Em pé, sem olhar para o monitor, ele introduziu [o aparelho] com força na intenção de ficar empurrando”, disse. Eu me desesperei, empurrei e falei ‘doutor há necessidade disso? O que o senhor está fazendo?’ Ele todo errado virou para o monitor e passou a mão no órgão dele, que estava completamente ereto”, descreveu a vítima.

Assustada, a mulher interrompeu o ato e saiu correndo da sala de exames. No caminho ela encontrou outro médico e contou o que aconteceu. A vítima foi para casa em choque e contou tudo ao marido, eles até tentaram registrar o caso na delegacia, mas o investigador do município disse que estava no horário de almoço e pediu que ela voltasse outra hora.

PUBLICIDADE

A assistente social conta que o hospital também foi informado, mas pediu apenas para que ela fizesse um relatório situacional. Por conta disso, a mulher precisou se deslocar até Manaus para conseguir fazer a denúncia junto à Delegacia Especializada em Crimes contra a Mulher (DECCM).

A PC registrou o caso e disse que está investigando e apurando todo o ocorrido.

PUBLICIDADE

Faça parte da comunidade

  • Praticidade na informação

  • Notícias todos os dias

  • Compartilhe com facilidade

blank WhatsApp Telegram

Apoie o AM POST

O AM POST está há mais de 8 anos produzindo jornalismo sério e de qualidade. É uma luta constante manter este projeto com a seriedade e a qualidade que nos propomos.

Apoie

blank

Últimas notícias

blank
blank
blank
blank
blank
blank