Polícia

Polícia diz que neta que planejou execução do avô é fria e não demonstrou arrependimento em Manaus

Segundo a polícia, a intenção da jovem não era só roubar o sargento da PM e sim matá-lo.


Redação AM POST

Thayssa Ramos, 19, foi presa nessa quarta-feira (26) suspeita de planejar a morte do próprio avô, o sargento da reserva da Polícia Militar, Evandro da Silva Ramos, que foi executado no último sábado (22), no bairro Coroado, zona Leste de Manaus.

Continua depois da Publicidade

De acordo com a polícia, a jovem queria uma alta quantia em dinheiro que acreditava que o sargento tinha guardado na casa e contou com a ajuda do namorado para arquitetar o plano.

Durante coletiva de imprensa, o delegado Ricardo Cunha, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), ressaltou a frieza de Thaissa e disse que a jovem não demonstrou nenhum tipo de arrependimento pelo crime durante o depoimento.

“Ela não participou do velório, do enterro, ela é uma pessoa muito fria, não demonstrou qualquer tipo de arrependimento quando passou por interrogatório. Ela é uma pessoa muito dissimulada apesar de ser muito jovem”, disse o delegado.

Continua depois da Publicidade

Segundo a delegada geral da Polícia Civil, Emília Ferraz, a intenção da neta do PM não era só roubá-lo. “Eles (a jovem e o namorado) argumentam na defesa que o objetivo era roubo do dinheiro, mas os executores já chegaram lá dentro atirando na vítima. Então, nisso cai por terra a hipótese: Ah nós vamos assaltar. Na verdade houve uma execução premeditada. E a ideia que se deduz de tudo isso é que eles ao planejarem ficaram com medo de chegarem nos autores e já cuidaram de executar a possível pessoa que os identificaria”, explica Emília.

A jovem já tinha roubado R$ 7 mil da avó materna há algum tempo. Na época, ela chegou a ser expulsa de casa, mas depois foi perdoada e voltou a morar na residência.

Continua depois da Publicidade