Polícia

Polícia prende suspeito de matar pastor e enterrá-lo em vala no AM

Ele já tinha sido presos antes, mas foi liberado durante audiência de custódia.

Redação AM POST

Edson Silva dos Santos, de 22 anos, conhecido como “Índio”, foi preso na manhã desta quinta-feira (14/10). Ele estava sendo procurado pelo homicídio do pastor e líder comunitário Minegildo Gaspar Rodrigues, que tinha 63 anos. A prisão aconteceu em via pública, na avenida Amazonas, no município, situado a 27 quilômetros de Manaus.

Continua depois da Publicidade

De acordo com o delegado Raul Augusto, titular da 31ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), o crime ocorreu em junho deste ano, em uma chácara onde a vítima morava, na comunidade Nova Canaã, bairro Tarumã-Açu, zona oeste de Manaus. Edson já havia sido preso por força de mandado de prisão temporária, em agosto deste ano, pelas equipes da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), mas foi solto após expirar o prazo determinado pela justiça.

Conforme o delegado, o crime foi motivado por constantes repreensões do líder comunitário a Edson, que praticava furtos naquela região. O infrator se sentia perseguido pela vítima, e a matou com um objeto cortante que provocou lesões na face, cabeça, perna e braço direito. O corpo do pastor foi jogado em uma vala com o rosto desfigurado, na comunidade Nova Canaã do Rio Cuieiras, no bairro Tarumã-Açú, na Zona Rural de Manaus.

“Além desse homicídio praticado em Manaus, o indivíduo responde na Justiça Criminal de Iranduba por diversos delitos como furto, roubo qualificado e roubo majorado”, explicou o delegado.

Continua depois da Publicidade

A autoridade policial relatou ainda que ele costuma entrar nos sítios e residências à noite, durante a ausência das vítimas, para praticar esses delitos. Ele também é suspeito de ter estuprado uma jovem com deficiência.

Procedimentos – Edson irá responder por homicídio. Após a prisão, ele foi entregue às equipes da DEHS, que estão à frente das investigações do caso. Ele será conduzido à Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde ficará à disposição da Justiça.

Continua depois da Publicidade