Polícia

Revoltados, populares incendeiam casa de homem que matou mulher a pauladas e jogou corpo em igarapé no AM

O infrator possui uma extensa ficha criminal por crimes como homicídio e tráfico de drogas.


Redação AM POST

Ewerton de Oliveira Simões, 23 anos, conhecido como “Marreco”, foi preso no sábado (22/01) pelo femincídio de Kátia Omar Rodrigues Envira, que tinha 41 anos, morta a pauladas e jogada em um igarapé de Urucurituba (a 208 quilômetros de Manaus).

Continua depois da Publicidade

Logo após a prisão de Ewerton, houve um atentado contra uma ambulância, o que seria uma possível retaliação em decorrência da prisão do indivíduo. Além disso, populares incendiaram a casa do infrator, revoltados com a morte da mulher.

Conforme o delegado Aldiney Nogueira, que responde interinamente pela 41ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) da cidade, o crime ocorreu na madrugada daquele mesmo dia, no bairro Liberdade Favelinha, em Urucurituba. Inicialmente, o infrator foi apresentado na delegacia por policiais militares como suposto autor do crime.

“Conseguimos coletar elementos robustos de que o homem realmente teria executado a vítima a pauladas e, posteriormente, jogado seu corpo em um igarapé da localidade. Averiguamos que Ewerton possui uma extensa ficha criminal por crimes e atos infracionais como homicídio, tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo, tanto em Urucurituba quanto em Manaus”, explicou o delegado.

Continua depois da Publicidade

A autoridade policial relatou que, durante as investigações, os policiais encontraram na casa do infrator três armas de fogo, rádios comunicadores e maconha do tipo skunk.

“Essa resposta imediata das forças de segurança visa dar um recado importante e direto. O Estado agirá sempre de modo ágil e firme contra qualquer tentativa de intimidação por parte de infratores contra a população ou contra órgãos públicos. Também ressaltamos que foi solicitada a conversão das prisões em flagrante em prisão preventiva, e solicitada a autorização de transferência do detento envolvido com o homicídio e tráfico de drogas para uma unidade prisional da capital”, ressaltou Aldiney.

Continua depois da Publicidade

*Com informações da Assessoria de Imprensa