Polícia

Sargento Lucas Ramon revelou a pessoas próximas, antes de morrer, ameaças que vinha sofrendo por caso com mulher casada em Manaus

Segundo advogado da família ele tinha desconfiança de que algo pudesse acontecer com ele, mas guardou a esperança de que o problema estaria resolvido após devolver a quantia de R$200 mil.

Redação AM POST

Antes de ser assassinado, o sargento do Exército, Lucas Ramon da Silva Guimarães, contou a pessoas próximas que vinha sofrendo ameaças de morte devido o caso extraconjugal que tinha com Jordana Azevedo Freire (41), esposa do empresário, Joabson Agostinho Gomes (38), dono da rede de supermercados Vitória. A informação foi revelada pelo advogado da família, Iuri Albuquerque, em entrevista a um portal local.

Continua depois da Publicidade

“Ele comentou com algumas pessoas sobre as ameaças, comentou com o personal trainer e com alguns colegas do Exército. Com essas pessoas próximas ele comentou que estava sendo ameaçado por ter tido um envolvimento extraconjugal com uma mulher casada, mas não afirmou ser a Jordana. Ele afirmou quem era para o irmão, o Marcelo”, explica o advogado em entrevista ao Portal do Holanda.

O romance foi descoberto pelo marido de Jordana e, de acordo com a polícia civil, esta seria a motivação do crime que vitimou o sargento no dia 1º de setembro deste mês. A descoberta do ‘triângulo amoroso’ veio através de mensagens e fotos, que eram rotineiramente trocadas por Lucas e Jordana.

Antes de ser assassinado, Lucas Ramon chegou a contratar um guarda-costas, com o intuito de se proteger das ameaças de Joabson, que estaria, segundo a polícia, furioso não somente pelo fato da traição em si, mas também porque sua esposa, além de manter uma relação fora do casamento, estaria desviando dinheiro do supermercado em favor do amante.

Continua depois da Publicidade

O sargento, chegou a receber uma quantia de R$200 mil que, posteriormente, acabou sendo devolvida.

“Ele tinha desconfiança de que algo pudesse acontecer com ele, mas ele guardou com ele a esperança de que o problema estaria resolvido. Mesmo assim ele ainda comentou com o irmão: Realmente eu estou com medo, estou cabreiro, mas eu acho que as coisas estão esfriando. Isso após a devolução do dinheiro ao Joabson, por isso ele dispensou os seguranças”, diz Iuri Albuquerque em conversa com o Portal do Holanda.

Continua depois da Publicidade

Joabson e Jordana continuam presos e sustentam o argumento de inocência.