Polícia

Univaja critica desfecho da PF sobre ‘não haver mandante’ do assassinato de Dom e Bruno no Amazonas

União dos Povos Indígenas do Vale do Javari diz que autoridades ignoram informações qualificadas.


Redação AM POST

A Univaja (União dos Povos Indígenas do Vale do Javari) rebateu a nota emitida nesta sexta-feira (17) pela PF (Polícia Federal). O comunicado da PF diz que “não há mandante ou organização criminosa” por trás do desaparecimento do indigenista Bruno Pereira e do jornalista inglês Dom Phillips.

Continua depois da Publicidade

“A Univaja não concorda com o desfecho da Polícia Federal que afirma não haver mandante para o crime que culminou na morte de Dom e Bruno”, disse a entidade indígena em nota.

Em nota detalhada, a Univaja diz que “a PF desconsidera as informações qualificadas, oferecidas pela Univaja em inúmeros ofícios, desde o segundo semestre de 2021, período de implementação da EVU (Equipe de Vigilância da Univaja)”, diz.

“Tais documentos apontam a existência de um grupo criminoso organizado atuando nas invasões constantes à Terra Indígena Vale do Javari, do qual Pelado e Do Santo fazem parte”, aponta a Univaja.

Continua depois da Publicidade

Os indígenas apontam que “Bruno Pereira se tornou um dos alvos centrais desse grupo criminoso, assim como outros integrantes da Univaja que receberam ameaças de morte, inclusive, através de bilhetes anônimos”.

A Univaja conclui dizendo que as autoridades competentes têm ignorado denúncias. “A nota à imprensa, emitida pela PF hoje (17/06/22), corrobora com aquilo que já destacamos: as autoridades competentes, responsáveis pela proteção territorial e de nossas vidas, têm ignorado nossas denúncias, minimizando os danos, mesmo após os assassinatos de nossos parceiros, Pereira e Phillips”.

Continua depois da Publicidade