Política

Base do governo deve isolar Marcelo Ramos por embate com Bolsonaro

O vice-presidente da Câmara, aliado do senador Omar Aziz, apostou no desgaste do presidente e o feitiço está virando contra o feiticeiro.

Redação AM POST*

A votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias vem causando uma série de discussões em Brasília. No final de semana, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) criticou o vice-presidente da Câmara, Marcelo Ramos (PL-AM), que agora se declara como oposição ao governo.

Continua depois da Publicidade

Marcelo Ramos, que era militante do PCdoB e foi secretário no governo Lula, nunca escondeu sua tendencia esquerdista, e agora ameaça aceitar um pedido de impeachment contra o mandatário. Sua ação, segundo colegas de partido, pode deixa-lo isolado nessa briga. Os partidos de centro tentam costurar um valor de meio para o fundo eleitoral, porém o deputado amazonense atrapalha as negociações com suas bravatas.

O vice-presidente da Câmara, aliado do senador Omar Aziz, apostou no desgaste do presidente e o feitiço está virando contra o feiticeiro.