China “ameaça” Brasil após Eduardo Bolsonaro criticar 5G

Os chineses pediram ao deputado e outras personalidades que parem de seguir a “retórica de extrema direita norte-americana”.

Deputado Eduardo Bolsonaro Foto: Reprodução
Nesta terça-feira (24), a embaixada da China no Brasil criticou publicações feitas pelo deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) sobre o uso da tecnologia 5G para espionagem. Em um comunicado, os chineses pediram ao deputado e outras personalidades que parem de seguir a “retórica de extrema direita norte-americana” e ameaçaram a “normalidade da parceria China-Brasil”.

A publicação de Eduardo Bolsonaro foi feita nesta segunda-feira (23), quando celebrou o apoio do Brasil à iniciativa global dos Estados Unidos por um “5G seguro, sem espionagem da China”.

Continua depois da Publicidade

O deputado acabou apagando sua publicação, mas a embaixada chinesa decidiu responder.

No comunicado, o país afirma que “Eduardo Bolsonaro e algumas personalidades têm produzido uma série de declarações infames que, além de desrespeitarem os fatos da cooperação sino-brasileira e do mútuo benefício que ela propicia, solapam a atmosfera amistosa entre os dois países e prejudicam a imagem do Brasil”.

A China então chamou declarações do tipo de “desinformações e calúnias” e ressaltou que se elas não pararem, o deputado e outras personalidades terão que “arcar com as consequências negativas” de prejudicar a parceria com o Brasil.

Continua depois da Publicidade

“Instamos essas personalidades a deixar de seguir a retórica de extrema direita norte-americana, cessar as desinformações e calúnias sobre a China e evitar ir longe demais no caminho equivocado. Caso contrário, vão arcar com as consequências negativas e carregar a responsabilidade histórica de perturbar a normalidade da parceria China-Brasil”, completou a embaixada.

Fonte: Pleno.News

Continua depois da Publicidade