Política

Em carta, terrorista Cesare Battisti critica ‘cinismo político’ de Lula

Battisti afirma que o petista ‘é capaz de tudo para colocar de novo a faixa de presidente’.


Redação AM POST*

O ex-terrorista italiano Cesare Battisti (67), que recebeu asilo político no Brasil quando o PT governava o país, criticou o pré-candidato e ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em cartas enviadas ao repórter Lucas Ferraz, da Folha de São Paulo. Segundo ele “há muita coisa para esclarecer, outras a desmentir. Inclusive algumas declarações falsas do Lula”.

Continua depois da Publicidade

Ele continuou: “Todos sabemos que Lula é capaz de tudo para colocar de novo a faixa de presidente. O animal político que nunca se contradiz. Aconteceu também comigo de admirar seu cinismo político (no sentido vulgar do termo) e o extraordinário jogo de cintura”.

Battisti está preso na Corigliano Rossano, penitenciária localizada na região da Calábria, na Itália, condenado por quatro homicídios entre as décadas de 1960 e 1980. Membro do grupo Proletários Armados pelo Comunismo, Battisti foi apontado como autor dos disparos que mataram o agente penitenciário Antonio Santoro e o motorista de uma divisão da polícia de combate ao terrorismo Andrea Campagna. O ex-terrorista ainda foi condenado por dar cobertura durante o assassinato do açougueiro Lino Sabbadin e por coidealizar a morte do joalheiro Pierluigi Torregiani.

Mesmo condenado pelo judiciário italiano, Battisti conseguiu escapar por 14 anos da extradição no Brasil, muito pelo esforço de Lula e do PT para mantê-lo no país.

Continua depois da Publicidade

Em 2018, quando Jair Bolsonaro (PL) foi eleito presidente do Brasil, Battisti decidiu fugir do país e se refugiar em Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, onde o ex-terrorista foi preso e extraditado para a Itália. Em 2019, Battisti confessou os crimes.

Segundo Battisti, Lula abandonou antigos aliados à esquerda por conta do “clima de campanha política” e da necessidade de se realizar acenos à direita. Ele diz, também, que Dilma Rousseff teve a mesma postura em relação ao seu caso ao longo do processo de seu impeachment, em 2016.

Continua depois da Publicidade

“Aconselharam Lula a fazer isso se quisesse recuperar parte dos setores que votaram em Bolsonaro, ele não hesitou. Mesmo que para isso tivesse que mentir despudoradamente, dizendo que ele e Tarso Genro [então ministro da Justiça] não sabiam de nada”, disse.

Por fim, Battisti ainda relacionou a eleição de Bolsonaro com erros da esquerda no Brasil, em especial do ex-presidente Lula e do PT.

Continua depois da Publicidade

“Se Lula e o PT não tivessem comido tudo, se não tivessem feito acordo com todo o lixo do centrão, o povo brasileiro não teria desistido para correr atrás de Bolsonaro. No desespero, o povo torna-se manipulável e cego. Temo que para colocar fora do jogo esse canalha ocorrerá uma desgraça”, completou Battista.

*Com informações da Gazeta do Povo