Política

Geraldo Alckmin é vaiado por militantes de esquerda durante ato de apoio a Lula

Vale lembrar que Alckmin e Lula são antigos rivais, ambos já trocaram fortes críticas.


Redação AM POST*

Pré-candidato a vice na chapa petista, o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSB) foi vaiado, na quinta-feira (16), durante ato de apoio ao ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em Natal. O público era formado por petistas e militantes de partidos aliados como o PSB, PCdoB e PSOL.

Continua depois da Publicidade

Alckmin foi vaiado quando teve o nome anunciado e também quando discursou. Além do ex-governador, foram vaiados o deputado federal e candidato a vice-governador do Rio Grande do Norte na aliança com o PT, Walter Alves (MDB), e o pai dele, o ex-senador Garibaldi Alves.

A governadora do Rio Grande do Norte e pré-candidata à reeleição, Fátima Bezerra (PT), tentou apaziguar os ânimos e defendeu um movimento mais amplo de alianças. Aliados como a família Alves têm um longo histórico de oposição ao PT no Estado O pré-candidato ao senado na chapa é o sobrinho de Garibaldi, Carlos Eduardo Alves (PDT).

Vale lembrar que Alckmin e Lula são antigos rivais, ambos já trocaram fortes críticas. Em um dos ataques ao PT quando era candidato à Presidência pelo PSDB em 2018, Alckmin disse: “Não existe a menor chance de aliança com o PT. Vou disputar e vencer o segundo turno, para recuperar os empregos que eles destruíram saqueando o Brasil. Jamais terão meu apoio para voltar à cena do crime.”

Continua depois da Publicidade

Lula e Alckmin se enfrentaram diretamente em debates na disputa eleitoral de 2006, quando o petista tentava se reeleger e Alckmin era o candidato tucano ao Planalto.

No debate promovido pela RecordTV naquele ano, Alckmin afirmou que o governo Lula tinha duas marcas, “parado na economia e acelerado nos escândalos”.

Continua depois da Publicidade

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, defendeu os aliados petistas. “Aqui pode até ter gente com quem a gente divergiu, mas que é a favor da democracia e contra Bolsonaro.”

* Com informações da Agência Estado

Continua depois da Publicidade