João Doria diz que política não pode interferir em vacina e pede compreensão de Bolsonaro

O Presidente disse que a vacina não será adquirida por seu governo.


REUTERS

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou nesta quarta-feira que questões políticas, ideológicas ou eleitorais não podem interferir no processo de imunização dos brasileiros contra a Covid-19 e aproveitou para pedir “compreensão” e “sentimento humanitário” ao presidente Jair Bolsonaro.

Ao lado de outros governadores, Doria participou na véspera de reunião com o Ministério da Saúde em que ficou definida a inclusão da vacina chinesa da Sinovac, em desenvolvimento que conta com a participação do Instituto Butantan, do governo do Estado de São Paulo, no Programa Nacional de Imunização.

Continua depois da Publicidade

Na manhã desta quarta, no entanto, em resposta a apoiadores em uma rede social e posteriormente em uma outra publicação, Bolsonaro disse que a vacina não será adquirida por seu governo, argumentando que “o povo brasileiro não será cobaia de ninguém”, apesar de o acordo anunciado na véspera prever a compra da vacina chinesa após obtenção de registro junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).