Política

MPE pede cassação de vereador de Manaus

Ele é acusado de ter usado o “Instituto Sandro Maia” para promoção pessoal para se eleger vereador em 2020 – o que caracteriza abuso do poder econômico ou político.

Redação AM POST

O promotor de justiça eleitoral Carlos Fábio Braga Monteiro, do Ministério Público Eleitoral, recomendou a cassação do diploma e mandato do vereador Sandro Maia (DEM), bem como a declaração de sua inelegibilidade, por ter usado o “Instituto Sandro Maia” para promoção pessoal para se eleger vereador em 2020 – o que caracteriza abuso do poder econômico ou político, quando pode ocorrer pela extrapolação, pelo recebimento de verbas de fontes vedadas ou de gastos em atividades vedadas pela legislação eleitoral.”

Continua depois da Publicidade

“Há nos autos material significativo, retirado inclusive do perfil do Facebook do investigado, demonstrando a utilização da estrutura (tanto física quanto humana) de tal entidade durante o processo eleitoral, o que caracteriza conduta vedada por lei”, escreveu o promotor. De acordo com o Carlos, o oferecimento de cursos profissionalizantes gratuitos, assistência social ampla, em período eleitoral, “têm o condão de influenciar o público eleitor”.

A ação foi instaurada pelo companheiro de partido, ex-vereador Gilmar Nascimento, que brigava pela reeleição no pleito. Na Ação de Investigação Judicial Eleitoral ajuizada em dezembro de 2020, Gilmar, que é o primeiro suplente do partido, acusou o colega de sigla de suposto abuso de poder econômico, abuso de poder político e uso indevido dos meios de comunicação social. O ex-vereador apresentou fotos de ações sociais do Instituto Sandro Maia publicadas por Sandro.

Sandro Maia disse por meio de sua assessoria de imprensa que soube da decisão e deixará no poder da Justiça e destacou que vem trabalhando dia e noite par solucionar ou minimizar os problemas da cidade.

Continua depois da Publicidade