“Só na fraude o ‘nove dedos’ volta”, diz Bolsonaro sobre Lula

O mandatário da República voltou a defender o voto impresso, mudança constitucional que está sendo debatida na Câmara dos Deputados.

Redação AM POST

Em conversa com apoiadores no ‘cercadinho’ do Palácio da Alvorada nesta segunda-feira 21, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) só retorna ao poder se houver fraude nas eleições de 2022. O mandatário da República voltou a defender o voto impresso, mudança constitucional que está sendo debatida na Câmara dos Deputados.

Continua depois da Publicidade

“Só na fraude o ‘nove dedos’ volta. Se o Congresso aprovar e promulgar, teremos voto impresso. Não vai ser uma canetada de um cidadão, como esse daqui, que não vai ter voto impresso. Pode esquecer isso daí”, disse Bolsonaro, sem citar a quem se referia.

Bolsonaro constantemente tem alegado fraude no sistema eleitoral brasileiro para justificar sua defesa ao voto impresso. Nunca foi provado, porém, que exista fraude nas urnas eletrônicas, considerado um dos sistemas mais eficientes do mundo.

O presidente disse ter provas de que venceu no 1º turno as eleições de 2018, mas ainda não mostrou nenhuma, mesmo tendo passado mais de 4 meses desde a declaração. As alegações são alvos de processo na Justiça

Continua depois da Publicidade

Mais recentemente o discurso de fraude nas urnas voltou a ser feito pelo presidente. Dessa vez, ele alega que Aécio Neves teria vencido Dilma nas eleições de 2014. Novamente, o presidente não apresentou qualquer prova.

Bolsonaro tem entrado em atrito com o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, que desafiou o chefe do Executivo nacional a apresentar provas de fraudes no uso da urna eletrônica nas eleições de 2018.

Continua depois da Publicidade

“Se o Congresso aprovar e promulgar, teremos voto impresso. Não vai ser por uma canetada de um cidadão como esse daqui [se referindo possivelmente ao presidente do TSE, Luís Roberto Barroso] que não vai ter voto impresso, pode esquecer”, disse.

*Com informações do Metrópoles

Continua depois da Publicidade