Vereador cobra tramitação de PL sobre campanha para planejamento da aposentadoria

Pesquisas apontam que apenas 6% da população planeja complementar o benefício investindo em fundos de previdência privada.

O vereador Ednailson Rozenha (PSDB) cobrou na manhã da terça-feira (13), na Câmara Municipal de Manaus (CMM), a tramitação do projeto de lei que prevê a criação de uma campanha permanente de ações educativas voltada para a conscientização de jovens sobre a importância do planejamento para uma aposentadoria mais segura.

Segundo a proposta, a campanha deverá ser viabilizada por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed) uma vez por ano e será destinada aos alunos do Ensino Fundamental.

Continua depois da Publicidade

“Ainda é muito baixa a porcentagem de pessoas que se planejam para o futuro. É importante que nossos adolescentes recebam orientações sobre o assunto desde cedo e saibam valorizar a importância do planejamento financeiro. Espero que nosso projeto seja aprovado o quanto antes”, defendeu o vereador.

De acordo com pesquisas nacionais, um total de 63% da população aposentada recebe do governo uma previdência pública de um salário-mínimo e apenas 6% planeja complementar o benefício investindo em fundos de previdência privada.

Estudo

Continua depois da Publicidade

Segundo um estudo realizado pelo HSBC, oito em cada dez aposentados lamentam não ter guardado mais dinheiro. Especialistas destacam que a poupança pode ser feita em outros produtos diferentes de fundos de previdência, dese que o investidor mantenha o hábito de aplicar constantemente.

A proposta do parlamentar prevê também que uma vez por ano, após calendário definido pela própria Semed, alunos de todas as modalidades do ensino médio, sejam orientados por meio de palestras e atividades que despertem neles o interesse pelo planejamento da aposentadoria. As atividades serão desenvolvidas por professores capacitados e poderão ser convidados especialistas no assunto.

Continua depois da Publicidade

“É importante repensar o futuro. Infelizmente a maioria dos jovens não se preocupa com essas questões e alguns defendem que ainda há muito tempo para se pensar no assunto, mas tenho certeza que com a ajuda do Poder Público essa cultura pode mudar”, finalizou Rozenha.