‘Médicos Sem Fronteiras’ intensificam ações de combate à Covid-19 no interior do Amazonas

Os profissionais encerraram as atividades em Manaus e intensificam apoio às equipes de saúde do interior no atendimento à Covid-19.

Redação AM POST

A organização internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF), em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), prossegue com as atividades de apoio ao combate à Covid-19 no interior do Amazonas. MSF é um grande aliado no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus, tendo atuado, no período crítico, entre maio e julho de 2020, em Manaus, São Gabriel da Cachoeira e Tefé.

Continua depois da Publicidade

Com o recrudescimento da pandemia, entre o final de dezembro e as duas primeiras semanas de janeiro de 2021, equipes do MSF voltaram ao Amazonas para reforçar a capacidade de atendimentos médicos, apoio em saúde mental e testagem nos dois municípios do interior do estado. Nessas cidades, a organização intensificou o combate à pandemia.

Término – MSF encerrou, nesta sexta-feira (26/02), as atividades na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) José Rodrigues, Zona Norte de Manaus. A conclusão está relacionada à redução dos atendimentos de pacientes em tratamento do novo coronavírus na unidade.

No pico da doença, a capacidade de atendimento da UPA foi ampliada e, hoje, não possui pacientes usando equipamentos de ventilação mecânica.

Continua depois da Publicidade

“Eles trouxeram segurança e expertise para trabalhar com o perfil de pacientes diferente dos quais estávamos acostumados, e conseguimos uma redução significativa da taxa de óbitos. Montamos um suporte de terapia intensiva para salvar vidas e manter os pacientes em condições de atendimento”, explicou a diretora da UPA, Glenda Nascimento de Freitas.

Legado – Desde o final de janeiro de 2021, profissionais do MSF, sete médicos, três enfermeiros e dois psicólogos deram suporte aos atendimentos de pacientes com Covid-19, realizaram treinamentos às equipes de saúde em prevenção e controle de infecções e também fizeram doações para a UPA.

Continua depois da Publicidade

“O MSF deixou um legado inesquecível na unidade: de apoio e conhecimento técnico com tanta humildade. Eles mostraram que a gente podia fazer muito mais do que já praticamos”, disse a diretora.

Saúde Mental – O MSF ofereceu apoio psicológico diário aos profissionais da linha de frente da pandemia da UPA. Os atendimentos, por psicológicos do programa, também contemplaram servidores do Hospital Pronto-Socorro 28 de Agosto.

Continua depois da Publicidade

“O suporte à saúde mental foi decisivo para manter os profissionais ativos e presentes. Foi muito importante e decisiva a presença deles para que os profissionais continuassem fortes, acreditassem no seu trabalho e da importância neste momento. Trouxe alento, acolhimento e mais engajamento”, contou a diretora da UPA.

Experiência – O coordenador do MSF em Manaus, Fábio Biolchini Duarte citou entre os ganhos da parceria a troca de conhecimentos e os treinamentos da equipe de saúde da unidade.

“Os funcionários da UPA foram extremamente abertos e receptivos. Foi uma experiência muito positiva. Com a nossa saída, vai ficar um legado para os profissionais que já aprenderam várias técnicas e protocolos de UTI, que não tinham anteriormente. Foi uma cooperação de muito sucesso”, finalizou o coordenador.

*