TBT AM POST

TBT: Governo de Eduardo Braga prometeu monotrilho de R$1,4 bilhão para Manaus que nunca foi construído

O político nunca conseguiu explicar os motivos pelos quais fizeram com que a obra fosse um verdadeiro fracasso e um marco negativo em sua jornada política.

Redação AM POST*

Com a promessa de melhor a mobilidade urbana de Manaus, o projeto de um monotrilho foi apresentado a população manauara pelo Governo do Amazonas, na gestão do atual senador Eduardo Braga (MDB), em 2009. Na época, o governo afirmou que o sistema iria atender 170 mil pessoas, além de reduzir o tempo de deslocamento dos passageiros em até 1 hora.

Continua depois da Publicidade

O monotrilho é uma espécie de metrô de superfície que ligaria a primeira etapa do bairro Cidade Nova, zona Norte de Manaus, ao Centro da cidade, na zona Sul. O monotrilho ainda iria passar pela avenida Constantino Nery, zona Centro-Sul.

Em 2013 a Justiça Federal do Amazonas cancelou a licitação do monotrilho de Manaus em, que foi planejado para a Copa do Mundo. A decisão judicial atendeu a um pedido do Ministério Público Federal (MPF). A obra que foi orçada em R$ 1,4 bilhões nunca saiu do papel. Ainda na época, o objetivo era que a primeira etapa do monotrilho fosse entregue em 2013, com 20 quilômetros e nove estações.

Eduardo Braga, que atualmente é apontado como pré-candidato ao governo do Estado, nunca conseguiu explicar os motivos pelos quais fizeram com que a obra fosse um verdadeiro fracasso e um marco negativo em sua jornada política. Cabe a nós saber se vale a pena confiar outra vez em alguém que não sabe terminar algo que planejou. A cidade de Manaus perde quando volta a crer em sonhos utópicos elaborados por mestres da demagogia e enganação.

Continua depois da Publicidade

Em uma entrevista realizada em outubro de 2014, à Rádio Amazonas FM, de Manaus, o então governador, José Melo disse que o monotrilho não foi feito porque o governo de Braga não fez o projeto executivo e não comprovou a viabilidade técnica do modelo de transporte para Manaus. Afirmou que o dinheiro nunca esteve disponível porque o Ministério Público pediu à Caixa Econômica Federal o bloqueio do dinheiro. “Só depois (que Braga deixou o governo) se descobriu que o monotrilho não era um sistema adequado para a cidade de Manaus, porque ele era só uma espinha dorsal sem as espinhas laterais. Ele ligava nada a lugar nenhum”.