Pesquisar por em AM POST

Tecnologia

Pesquisadores criaram chatbot que te permite conversar com sua versão do futuro

o chatbot que te permite conversar com sua versão do futuro, desenvolvido pelo MIT. Saiba como essa tecnologia pode ajudar a tomar melhores decisões hoje.

  • Por AM POST

  • 12/06/2024 às 17:03

  • Leitura em três minutos

Pesquisadores criaram chatbot que te permite conversar com sua versão do futuro

Pesquisadores criaram chatbot que te permite conversar com sua versão do futuro – Imagem: Internet

 

Um chatbot que te permite conversar com sua versão do futuro foi criado por pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT). Utilizando a tecnologia de IA, o chatbot simula uma versão mais velha do usuário, fornecendo observações e conselhos sábios. Este projeto inovador visa incentivar as pessoas a refletirem mais sobre o indivíduo que desejam se tornar nos próximos anos e décadas.

PUBLICIDADE

Tomando melhores decisões com ajuda do chatbot

O chatbot que te permite conversar com sua versão do futuro tem como objetivo principal promover mudanças de pensamento e comportamento de longo prazo. “O objetivo é promover mudanças de pensamento e comportamento de longo prazo”, afirmou Pat Pataranutaporn, pesquisador do Media Lab do MIT, que trabalha no projeto Future You. Através desta tecnologia, os usuários podem visualizar uma versão envelhecida de si mesmos, o que pode motivá-los a fazer escolhas mais sábias no presente, otimizando seu bem-estar e resultados de vida a longo prazo.

Como funciona o chatbot que mostra sua versão do futuro

O processo de utilização do chatbot é bastante simples e envolvente. Primeiramente, os usuários respondem a uma série de perguntas pessoais, fornecendo informações sobre amigos, familiares, experiências passadas e a vida ideal que imaginam para o futuro. Eles também precisam carregar uma imagem de retrato, que é envelhecida digitalmente pelo programa para mostrar como seriam aos 60 anos.

O programa, então, alimenta essas informações em um grande modelo de linguagem, gerando memórias sintéticas plausíveis para a versão mais velha simulada do usuário. Isso assegura que, quando o chatbot responder às perguntas, ele se baseie em uma história de fundo coerente e rica. O chatbot, alimentado pelo GPT-3.5 da OpenAI, se apresenta como uma potencial versão mais antiga do usuário, capaz de falar sobre suas experiências de vida.

PUBLICIDADE

Explorando futuros diferentes

Os usuários são informados de que o “eu futuro” não é uma previsão exata, mas sim uma potencial versão do futuro com base nas informações fornecidas. Eles são incentivados a explorar diferentes futuros, alterando suas respostas ao questionário. Isso permite que o chatbot mostre como diferentes escolhas podem afetar sua vida no longo prazo.

Em uma das simulações, uma estudante que desejava ser professora de biologia perguntou à sua versão de 60 anos sobre o momento mais gratificante de sua carreira. O chatbot respondeu que ela era uma professora de biologia aposentada em Boston e relembrou um momento especial em que ajudou um aluno com dificuldades a melhorar suas notas.

PUBLICIDADE

Redação Site On

O AM Post apoia a causa autista
blank

Essas crianças autistas não estão fugindo ou escondendo-se, elas, de fato, estão perdidas, à espera de que alguém va ao seu alcance.

- Anne Alvarez

Faça parte da comunidade

  • Praticidade na informação

  • Notícias todos os dias

  • Compartilhe com facilidade

blank WhatsApp Telegram

Apoie o AM POST

O AM POST está há mais de 8 anos produzindo jornalismo sério e de qualidade. É uma luta constante manter este projeto com a seriedade e a qualidade que nos propomos.

Apoie

blank

Últimas notícias

blank
blank
blank
blank
blank
blank